• Luiz Marcos Fernandes

Encantos e segredos de Budapeste

Atualizado: 12 de mai. de 2021

Um roteiro de história e cultural em plena Europa

Vista do Parlamento de Budapeste e Cruzeiros Fluviais. Foto: divulgação Transmundi

Aviso aos navegantes: quando você chegar em Budapeste, ouvirá sempre essa mesma história de todo guia de viagens que estiver apresentando o lugar. Eles contarão que a capital da Hungria era dividida em duas cidades até 1873: Buda, na margem direita do Rio Danubio e Peste, na margem esquerda. Mesmo tendo se tornado Budapeste, não estranhe se as pessoas se referirem ainda hoje aos dois lados separadamente, pois essa divisão parece auxiliar na identificação e localização dos bairros da região.

O que ver

No lado "Buda", uma dica importante é a visita a atrações que foram importantes historicamente, como o Castelo de Buda e os museus, além das áreas verdes que ficam na margem direita, onde normalmente saem os passeios e city tours. O Castelo de Buda tem quatro de seus pavilhões ocupados pela Galeria Nacional da Hungria, além de abrigar em outros setores o Museu da História de Budapeste e a Biblioteca Nacional Széchenyi. Já no caso do Parlamento, a visita ao interior é feita com guias em horários pré-determinados. Este passeio é a atração mais concorrida da cidade e precisa ser reservada com dias de antecedência, pois os ingressos esgotam rapidamente.. O lado ‘Peste’ é conhecido pelo agito dos bares, restaurantes, pubs e hotéis, além de outros pontos turísticos, como o Parlamento e os clubes que incluem banhos termais.


Distritos

A cidade de Budapeste é toda dividida em distritos. Com casario do século XIII, Budavár, distrito I, é conhecido também como Distrito do Castelo. É considerada a área mais turística. Ainda neste distrito está a localidade de Varnegyed, onde se encontram os chamados banhos termais e o Castelo de Buda, bem como outras atrações. O Distrito V, conhecido como Inner City, é a região ideal para compras. Cultura e música estão no distrito VI, conhecido como Terézváros, onde está localizada a Ópera de Budapeste.


Acesso

Pode ser feito por via aérea, a partir de cidades europeias, trem ou barco. Uma boa dica é fazer o trajeto fluvial a partir de Viena. Os barcos de luxo, com capacidade para até 160 passageiros em média, cruzam os rios da Europa e permitem que o desembarque seja feito no píer, praticamente no centro da cidade.


Dicas

- Brasileiros que viajam a turismo não necessitam de visto e podem entrar no país somente com passaporte, sendo autorizados a permanecerem por no máximo 90 dias.

- A moeda é o Florim Húngaro ou Forinte (Ft) e não é encontrada facilmente em outros países. Por conta disso, o melhor é levar euros e trocar nas casas de câmbio em Budapeste mesmo (evite as lojas do aeroporto, porque oferecem uma cotação pior na hora da troca).

- O Aeroporto Internacional está situado a cerca de 20 km do centro. Há um serviço de Shuttle do aeroporto que funciona 24 horas.

- O melhor período para se visitar a cidade é durante o verão europeu. Faça um passeio de barco noturno: as luzes coloridas do centro histórico, dos castelos e do parlamento oferecem um visual fantástico.


Transporte

Circular a pé ou de bicicleta é uma boa sugestão durante o verão, mas é bom lembrar que existe a opção do trem (bondinho) ou metrô. Há uma sistema público de aluguel de bicicletas que permite até 30 minutos de uso de graça, o chamado Bubi (Budapest Bicikli).

Serviços

A cidade conta com excelentes hotéis e ótimos restaurantes, sendo que os preços são bem convidativos, se comparados com outras grandes capitais da Europa como Londres, Roma e Paris.

Informações

Uma boa indicação é o site da KLM: www.klm.com/destinations/br/br/europe/hungary/budapest/practical-info ou então o site: www.tudosobrebudapeste.com

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo