• Luiz Marcos Fernandes

Turismo Regional

Atualizado: 8 de fev.

Um passeio pelas vinícolas e restaurantes de São Roque, no interior paulista

Um tour pelas parreiras da Rota do Vinho

Quem aprecia um bom vinho e uma gastronomia rica em sabores e diversidade, tem a oportunidade de reunir alguns destes ingredientes num único roteiro. Estamos falando de São Roque (distante 1h30m de São Paulo) que cativa o visitante com seu clima bucólico e hospitalidade por parte de seus quase 90 mil habitantes. O clima tranquilo da cidade acaba ganhando uma maior agitação durante feriados prolongados como a Semana Santa, quando ocorre a chegada de muitos visitantes de várias partes do Brasil. Além dos feriados, festas como a Expo São Roque também ajudam a movimentar o turismo da região.

Independente da época escolhida para conhecer seus atrativos e encantos, uma coisa é certa: você não vai se arrepender! O cartão postal da cidade é a Estrada do Vinho, onde estão 44 pontos de interesse turístico entre vinícolas, restaurantes, cantinas, pesqueiros e pousadas. Reserve pelo menos dois dias para percorrer esse roteiro, que é interligado com a rodovia Quintino de Lima. Aproveite para curtir sem pressa ou preocupação os encantos da Estrada do Vinho e seus arredores.



Showroom das vinícolas

Vinícolas

Ao longo da Estrada do Vinho estão pelo menos 15 vinícolas com direito a degustação e provas. Em algumas delas, como é o caso da vinícola Góes, você pode adquirir um voucher por R$ 15 que dá direito à degustação de vinhos reserva e de uvas especiais, em um cenário cercado por montanhas e vinhedos. Esta vinícola fica no Km 9 da Estrada do Vinho. Outra vinícola que vale a pena visitar é a Canguera, que tem em seu showroom uma variedade de vinhos de mesa, sucos e espumantes, além de restaurante onde se pode degustar alguns dos seus vinhos preferidos. O estabelecimento fica na Estrada do Vinho, km 8. Se estiver com tempo, aproveite também para uma parada na Bella Aurora, que entre seus produtos está uma enorme variedade de vinhos de mesa, além de sucos e a famosa Jeropiga, tipo “vinho do Porto”. Fundada em 1932, esta vinícola é uma das mais antigas da região, tendo mantido sua tradição através da administração realizada pela terceira geração da família Pereira Leite. A Bella Aurora fica às margens da rodovia Raposo Tavares, km 56,5.


Plantações de uvas enfeitam a paisagem

Estrada do Vinho

As rodovias que levam à Estrada do Vinho são muitas, mas o roteiro não é nada complicado: fica a menos de 10 minutos do centro da Cidade. Passando pela churrascaria Tropeiro do Sul você começa a perceber uma mudança na paisagem verde, intercalada por montanhas, numa rodovia asfaltada sinuosa que vai nos mostrando aos poucos toda a beleza desta região. O ideal é fazer esse passeio entre sexta e domingo, principalmente fora da temporada, para não ter o dissabor de se deparar com alguns empreendimentos fechados.

Ao se aproximar da região, logo você verá as plaquinhas de sinalização às margens da rodovia com indicações de vinícolas como a Frank e a Santa Cecília. Intercalando as vinícolas há inúmeros restaurantes.


Olivardo degustando um dos vinhos de sua produção

Deliciosos pastéis de Belém feitos na hora

Quinta do Olivardo

O restaurante mais conhecido deste roteiro gastronômico é a Quinta do Olivardo, verdadeiro pedacinho de Portugal em terras brasileiras. Ali, o simpático Olivardo recebe os clientes sempre com um sorriso e sua simpatia habitual. O estabelecimento conta com um enorme complexo que além de restaurante, tem uma área gastronômica para quem quer curtir o ambiente e saborear bolinhos de bacalhau, pasteis de Belém, rabanada frita na hora com sorvete, um verdadeiro pecado, mas difícil de resistir. A cada 15 minutos toca um sino anunciando aos clientes mais uma fornada de pastéis de Belém saindo quentinha do forno a lenha.


Espaço gastronômico

Os destaques do cardápio ficam por conta dos pratos a base de bacalhau, que servem bem duas pessoas. Mas há outras opções de carnes como o Leitão a Bairrada, a Espetela Madeirense e outras iguarias deliciosas. Após o almoço, nada melhor do que uma visita à Fazendinha, onde é possível realizar um passeio pelos seus parreirais, curtir uma pescaria, andar de pedalinho e até quem sabe praticar a tirolesa e o arvorismo no Circuito Aventura.

O complexo também oferece programas especiais como o Almoço com Fado, que acontece sempre no segundo e quarto sábados do mês. Já o Jantar com Fado é no primeiro e terceiro sábados do mês. Para finalizar, não deixe de conhecer o famoso Vinho dos Mortos. Essa é uma tradição que teve início em um fato histórico: durante as invasões francesas, os portugueses que cultivavam vinhos enterravam garrafas no chão das adegas e só as retiravam após os invasores terem ido embora. O simpático Olivardo passou a enterrar algumas garrafas da sua adega e após seis meses leva os clientes para saborearem os mesmos e participarem da cerimônia de retirá-los da terra. A cerimônia com música acontece sempre à noite no terceiro sábado de cada mês e exige reservas. Para informações consulte o site www.quintadoolivardo.com.br


Fazenda Santo Antonio: passeio histórico

Fazenda Santo Antonio: um tour pela história do Brasil

Se você gosta de história e cultura, reserve também um dia para um passeio até a Fazenda Santo Antônio, que pertenceu ao escritor Mario de Andrade e conta com um casario histórico e uma capelinha. Ali você terá oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o Brasil Colonial e poder entender melhor os detalhes da época da escravidão ao conhecer as instalações deste santuário histórico. A fazenda fica nos arredores de São Roque, com acesso por rodovia asfaltada. Logo na entrada você será recebido por funcionários do Estado especializados em história e cultura, que acompanham sempre os visitantes para em um tour pelo casarão principal e pela capelinha de Santo Antonio. A construção é do tempo do Brasil Colônia e muitas peças originais ainda estão preservadas. Um dos costumes mais reprováveis de nossa história também deixou suas marcas na Fazenda: ela servia de ponto para a venda de escravos. Eles eram colocados enfileirados no imenso gramado em frente ao Casarão para que os senhores e coronéis escolhessem aqueles que desejassem levar para suas fazendas. Quanto às belezas naturais do lugar, é possível fazer uma caminhada ao redor do casarão apreciando o lago e toda a natureza responsável por criar um clima bucólico cujo silêncio só é quebrado pelo canto dos pássaros.


Restaurante Itacolomy: comida mineira caseira

Gastronomia

Se a fome apertar não faltam opções na região! Para quem aprecia massas caseiras, a dica é a Cantina Tia Lina, que tem no cardápio opções como o rondelli recheado com alcachofra. Uma verdadeira perdição! No local também funciona um empório. A cantina fica no km 10,5 da Estrada do Vinho. Outra dica para quem aprecia comida caseira é o restaurante Itacolomy, no km 10 da mesma rodovia. O destaque é o buffet variado que fica sobre um fogão a lenha, cujo aroma tentador é perceptível logo na entrada. O forte ali é a comida mineira.


Hospedagem

O Espaço Tajj é uma excelente opção de hospedagem, além de pequenas pousadas espalhadas pela região..

16 visualizações0 comentário