• Luiz Marcos Fernandes

Intercâmbio Estudantil, uma opção para o período da pós Pandemia

Apesar das viagens internacionais estarem restritas os intercâmbios estudantis podem ser um programa a médio prazo.


Qual é o melhor país para se fazer um intercâmbio? Essa é uma pergunta muito subjetiva, a qual não há como fixar uma única resposta. Cada país possui seus atrativos, valores e oportunidades de estudo e trabalho, que serão mais recomendados para cada tipo de perfil. São diversos lugares incríveis a explorar – mas que, dentre tantos, alguns vêm se destacando nas preferências dos brasileiros para esse ano. A grande maioria dos países já está com suas fronteiras abertas para estrangeiros – mediante, claro, requisitos e predeterminações devido à pandemia, como, por exemplo, o comprovante de vacinação. Embora muitos jovens tenham adiado seus planos de viajar durante o isolamento social, 82% ainda possuem interesse e, pretendem realizá-lo em breve, segundo a Pesquisa Belta 2021. Então, vamos aos destinos mais desejados:


Canadá - Dentre os países que estão mais em alta neste ano, o Canadá é, sem dúvidas, um dos favoritos. Há anos na mira dos planos dos estudantes brasileiros, o país é feito por imigrantes e, valoriza muito os que têm algo a agregar para o seu crescimento econômico e social. Muitos escolhem a região para estudar em níveis superiores, com a possibilidade de optar por programas que conciliam estudo e trabalho. Além disso, há regiões onde além do inglês, o aluno também pode aprender francês. Somado a toda essa receptividade, o país é lindo e reserva paisagens de tirar o fôlego para os amantes da natureza.


Irlanda - Além dele, a Irlanda é outro destino que vem ganhando cada vez mais popularidade dentre os brasileiros. O país oferece oportunidades variadas de trabalho a qualquer programa de curso, seja ele superior ou não. É famoso por sua receptividade e acolhimento aos estrangeiros e, por estar localizado na União Europeia, permite que os estudantes possam conhecer diversos países além da Ilha Esmeralda – criando uma experiência ainda melhor de intercâmbio. É a oportunidade de conhecer vários países sensacionais em pouco tempo e gastando quase nada.


Cada uma dessas regiões possui suas vantagens e desvantagens para se fazer um intercâmbio. Seja qual for o escolhido, a pesquisa sobre o local e o planejamento minucioso são os principais cuidados que todo estudante deve ter. Aqueles que desejam estudar no exterior devem estar muito bem-preparados e saber exatamente o que pretendem conseguir com o intercâmbio – se buscam apenas uma experiência de turismo, possibilidades de adquirir a fluência em outra língua ou, procurar oportunidades de crescimento profissional.


O planejamento deve ser completo, não somente sobre o destino, mas também sobre o seu custo de vida. Em um exemplo prático, se você deseja optar por um programa de estudo e trabalho, mas não possui um inglês avançado, países como o Canadá não são recomendados. Afinal, eles exigirão um bom conhecimento do idioma local como requisito para a grande maioria dos processos seletivos. Todo preparo é fundamental, principalmente em cenários incertos como o que estamos vivendo na pandemia. É importante verificar as regras de entrada do país desejado, qual o custo de vida local, e se planejar financeiramente para levar consigo um pouco mais de dinheiro do que o pedido para a sua viagem. Mas, acima de tudo, se preparar psicologicamente para possíveis novos lockdowns e a mudança de rotina durante sua estadia. Para ajudá-lo nesse processo, a consultoria de um especialista é sempre muito bem-vinda.


Informações: A Startup do Grupo Educacional SEDA, trabalha com intercâmbios e é a maior formadora de consultores de intercâmbio do mundo. Sua proposta é eliminar a intermediação feita pelas agências, proporcionando a formação do consultor e um relacionamento direto entre o estudante e o vendedor. Já a Belta – Associação das Agências de Intercâmbio – conta com as agências especializadas Selo Belta que representam 75% do mercado de educação internacional, além de reunir 15 associadas internacionais, que são universidades, redes de escolas internacionais e prestadores de serviços afins ao segmento. Informe-se pelo https://www.belta.org.br/

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo