• Luiz Marcos Fernandes

Caminho de Compostela: desafio de fé e determinação

Atualizado: 12 de mai. de 2021

Colaboradora: Gladis Gill

Gladis Gill no caminho de Santiago de Compostela

Você certamente já ouviu falar nesta que é considerada a maior trilha de fé e determinação do mundo: o Caminho de Santiago de Compostela. Pois durante 40 dias a nossa colaboradora Gladis Gil, junto com um grupo de amigas, viveu essa aventura que teve início no dia 11 de maio de 2019.

Foram 36 dias, percorrendo 815 km atravessando o norte da Espanha. NÃO FOI FÁCIL! Mas o sentimento foi de realização e conquista (principalmente agora que acabou). Conhecemos pessoas maravilhosas, de todas as idades e nacionalidades. Conversamos com asiáticos sem falarmos suas línguas usando sempre a linguagem do coração para nos comunicarmos e gastamos nossos conhecimentos em inglês, francês e espanhol durante o percurso, onde você encontra pessoas das mais diversas nacionalidades. Durante o trajeto do caminho, você tem a oportunidade de passar por inúmeros vilarejos medievais e acabei por me sentir parte deles, no meio das deliciosas séries históricas que tanto amo. Encaramos sol e chuva, alegria e tristeza, dor e felicidade e momentos de plenitude, como também de desânimo. Movidos por sentimentos de coragem e determinação, ficamos vulneráveis perante a vida e saímos vencedoras. Valeu cada minuto, cada passo e todas as emoções vividas. E depois de passar por tudo isso, é muito bom poder dividir um pouco das nossas experiências e dar algumas dicas para os próximos peregrinos. Todo mundo devia fazer uma caminhada deste tipo, que pode ser de um tamanho que seja de acordo com as possibilidades de cada um. É bom para o desapego... é bom pra alma!


A escolha da melhor rota

Existem diversos caminhos para chegar em Santiago de Compostela. O mais tradicional é o caminho francês que sai da França (Saint Jean Pied du Port) e atravessa todo o norte de Espanha. Existem outros caminhos como o Português, Norte, Primitivo, Inglês e vários outros. O caminho Francês tem uma duração media de 35 dias (24 km/ dia em média), mas dependendo do tempo e de quantos km quiser andar por dia, este tempo pode variar. Você pode começar o caminho em qualquer cidade. Existem cidades ou vilarejos por todo o caminho e você pode escolher quantos quilômetros andar por dia.


Registro feito durante o percurso

Preparação

Sim, é necessário se preparar fisicamente, mesmo que você seja jovem. Vi inúmeras pessoa de diferentes idades desistirem do caminho. Fiz musculação para fortalecer pernas e coluna, pilates e caminhadas sempre que possível. Fazia tudo a pé e uma vez por semana caminhava 20 km. Afinal, o caminho é duro!


Credencial

Essa credencial pode ser solicitada em postos de turismo e catedrais na Espanha ou nas Associações dos Amigos de Santiago de Compostela. Em vários locais no caminho, como albergues e bares, você pode carimbar sua credencial. Ela serve para no final você poder solicitar o Certificado (a Compostela) que é emitido pela Oficina do Peregrino. Para conseguir o Certificado você tem que andar no mínimo 100 km.


Melhor época

A melhor época para se viver uma aventura como estas é na primavera ou no outono, mas com as últimas mudanças no clima, está mais difícil escolher o melhor momento. Eu fiz na primavera e assistimos a um show de flores ao vento. Mas pegamos mais frio (zero graus) do que imaginávamos.


Momento de confraternização entre peregrinos

O que levar

Leve o mínimo possível com você. Uma roupa no corpo e uma para ficar a noite e dormir. Um tênis ou bota de trilha (grande polêmica do caminho, mas eu prefiro tênis de trilha), papete, casaco, corta vento impermeável, fleece, capa de chuva, mochilinha ou sacola, pochete, meias, toalha fralda (comprar a metro), bastão (levei 1, mas tem quem prefira 2), saco de dormir ou liner (lençol de saco de dormir, eu levei um de seda que pesava 150 gramas). É imprescindível usar tudo antes, principalmente sapato e meias. A mochila cheia deve pesar no máximo 10% do seu peso. A minha era uma Deuter de 28 litros. Pesou 5,2 kilos sem água (levava por volta de 1 litro dependendo do trajeto). Comprar tudo de boa marca e qualidade. É sempre bom lembrar que existem várias listas do que levar na internet. Existe máquina de lavar e secar em todos os albergues. Use mochila de no máximo 35 litros pois, quanto maior, mais coisas você coloca dentro. Não esqueça de pendurar a concha na mochila, símbolo do caminho.


Cuidados com a saúde

Além de remédios específicos, leve ou compre lá relaxante muscular, pomadas para dores musculares, emplastros, vaselina para o pé, compeed para bolhas (esparadrapo de silicone), linha e agulha pra furar bolhas, hidratante para passar no pé antes de dormir, joelheiras e tornozeleiras. Cuide muito dos pés, pois eles serão seus maiores companheiros nesta viagem. Não se esqueça do tampão de ouvido e tapa olho para dormir nos albergues, pois a sinfonia noturna é uma constante. Na "necessaire" leve somente pasta e escova de dente, fio dental, sabonete, shampoo e creme. Leve um gancho para pendurar a "necessaire" ou uma que tenha algum meio de se pendurar.


Belas paisagens ao longo do caminho (Divulgação/Caminhos de Santiago)

Planejamento

Os caminhos são muito bem sinalizados e com bastante segurança. Muitas pessoas sozinhas e muitas acompanhadas. A opção de se ir sozinho ou acompanhado vai depende daquilo que você busca. Fiz acompanhada. Teve momentos que gostaria de estar sozinha, mas vários outros momentos que adorei estar acompanhada. Existem inúmeros aplicativos pra facilitar o seu caminho, eu usava o Camino Pilgrim. Fiz um roteiro básico, mas diariamente avaliávamos quantos quilômetros iríamos andar e em que vilarejo iríamos parar. Planeje seu dia, mas deixe o caminho te levar. Você deve tentar andar um trecho todos os dias, mas há aqueles que preferem mesmo dar uma parada de um dia ou mais para descansar. Tem internet (wifi) em grande parte dos albergues, mas compramos um cartão pra garantir.


Hospedagem

Existem vários tipos de albergue: Municipais (mais baratos e variam de 5 a 8 euros), Paroquiais (ou cobram valor ou doação) e os Privados (de vários preços). Os Privados são um pouquinho melhores, mas os municipais são muito bons. Os municipais não aceitam reserva. Dependendo da época do ano, é necessário reservar um privado, pois a frequência dos demais é alta. Em geral os quartos são mistos, com beliches e banheiros compartilhados. A entrada é por volta das 12h e a saída às 8h da manhã. Saiamos normalmente por volta das 6h da manhã. Peregrino acorda cedo ...

Gastronomia

No nosso caso, optamos por andar das 6h às 14h ou um pouco mais, dependendo do dia. Pela manhã, o menu do café da manhã era apenas um yogurte no albergue e já partíamos para a caminhada, rezando para encontrar o primeiro bar para tomar café (sou viciada!). Normalmente levávamos um sanduíche que fazíamos na noite anterior e comíamos com o café. De tempos em tempos, nova parada e mais café, um bolinho ou ovos, frutas, chocolate... até chegarmos no destino do dia. Aí era escolher um albergue, tomar banho e sair para almoçar ou comprar ingredientes para cozinhar no albergue, o que muitas vezes era bem divertido e com bons momentos sempre regados a vinho! Almoços comunitários são uma prática bem gostosa que promove amizades e ainda é bem mais barato. Não costumávamos jantar. Às vezes comíamos uma fruta ou alguma besteira.


Momento inesquecível: chegada ao santuário

Chegada

No final, o grande momento da chegada! Coração a mil, e eu tranquila dizia que não ia chorar. Mas eis que quando entramos na praça, fui envolvida por uma grande emoção que não esperava que fosse sentir e as lágrimas escorreram pelo meu rosto. Chorei. Simplesmente emoção, não sei se de alívio pelo término, de cansaço ou da energia do local. Durante a chegada, os peregrinos se sentem realizados. Ficamos meio zonzas, tiramos fotos, rimos, encontramos amigos e conhecidos do caminho. Pessoas que já não eram mais estranhas e mesmo sempre meio a distância, agora nos abraçavam com veemência e ternura. Foram várias manifestações de peregrinos da Coreia, Taiwan, Itália, França, Argentina, Brasil, Japão, EUA, Canadá, entre outros. Ficamos pela praça curtindo o momento e esperando a etapa final com a benção na missa do peregrino, que acontece ao meio dia. Era o fim de uma jornada e a sensação de uma experiência única de plena realização!

109 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo